O presente de ser pai

0

*por Eduardo Shinyashiki

EDU COR-1175 (2) Além dos tradicionais presentes, o Dia dos Pais é uma data em que a reflexão sobre o  relacionamento familiar é muito bem-vinda. Afinal de contas, os pais influenciam  diretamente em muitos fatores da vida dos filhos, como a forma de enxergar o mundo e de  reagir aos estímulos externos, por exemplo.

 Para o homem, muitas vezes, a paternidade acontece durante o ápice da carreira ou  consolidação profissional. Por isso, decidir ter uma família e filhos requer maturidade,  flexibilidade, espírito de adaptação, além de sensibilidade para buscar equilíbio entre a  participação e presença na vida dos filhos, mesmo que às vezes isso aconteça à  distância.

 Para o saudável desenvolvimento afetivo das crianças, é fundamental que os pais estejam  envolvidos na vida dos filhos, muito mais com disponibilidade emotiva do que de tempo. E,  ao contrário do que muitos pensam, a vida profissional não é empecilho para isso. A receita  para esse equilíbrio é simples: ter claras as próprias prioridades, pessoais e profissionais e  dosar bem as energias e o tempo dedicados a essas prioridades.

 Em síntese, o papel paterno representa a relação dos filhos com o mundo externo, ou seja,  a abertura para a sociedade, o impulso para se tornarem adultos. Indica também o ingresso da criança ao contexto social, em contraposição ao universo íntimo representado pela relação entre mãe e filho. Ao mostrar, de maneira clara e serena, que existem regras e limites, o pai ajuda os filhos a crescerem emotivamente preparados para enfrentar com segurança o mundo externo.

São vários os pontos na atuação do pai que determinam a criação de uma base firme para a vida futura de seus filhos. Entre eles, podemos destacar a importância de compartilhar o tempo livre para brincadeiras e atividades conjuntas, a abertura ao diálogo, a atenção ao mundo da criança e, finalmente, a maneira como o pai responde às exigências e comportamentos de seus filhos. Se esses pontos forem colocados em prática de forma equilibrada, podem solidificar a base emocional da criança, contribuindo para transformá-la em um adulto emocionalmente bem estruturado e de bem consigo mesmo.

Estudos afirmam que quanto mais os filhos se sentem em conexão com o pai, mais confiam na vida, em si mesmo e nos outros. Quando a relação de confiança e proximidade é estabelecida quando criança, ela dura por toda a vida. E isso só acontece quando se constroem laços baseados no respeito à diversidade e individualidade, e não na busca incansável de uma simples reprodução de comportamentos.

Cada um tem a sua própria jornada e melhor que guiar alguém é caminhar ao lado. Transmita aos seus filhos valores sólidos, que fazem parte do seu dia a dia, e um legado será construído de forma tão forte que nada poderá corrompê-lo. Permita que hoje e a cada dia da sua vida sejam construídos momentos memoráveis com seus filhos, que podem ser um olhar, um sorriso, um abraço e, talvez, o mais importante: viver com eles aquilo que você sempre sonhou em viver com os seus pais, mas que por algum motivo não foi possível. Viva a intensidade desses momentos e o poder do agora na sua vida. Eternize este presente.

Feliz Dia dos Pais!

Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, conferencista nacional e internacional e especialista em Desenvolvimento das Competências de Liderança aplicadas à Administração e Educação. Mestre em neuropsicologia, Eduardo é presidente do Instituto Eduardo Shinyashiki e também escritor e autor de importantes livros como “Transforme seus Sonhos em Vida”, sua publicação mais recente.  www.edushin.com.br.

 

Compartilhe.

Deixe um Comentário