Patriani retém talentos e segue com lançamentos mesmo na crise

0

Quando a crise econômica bate à porta das empresas, demitir parece ser a única solução. E esta decisão tão delicada é tarefa, em geral, delegada ao profissional de Recursos Humanos. Porém, a Incorporadora Patriani, uma empresa jovem e com sede em São Caetano do Sul, tem dado exemplo de preparo para suportar as adversidades impostas pelos momentos de crise econômica. “A crise está presente no mercado e isto é um fato. Mas, não sofremos este reflexo quando falamos de recursos humanos. O momento ainda é de investimento de nossa parte e, para mantermos o padrão de qualidade que entregamos ao mercado, ter bons profissionais e em número adequado, é fundamental”, afirma Paula Cardozo.

Paula com Valter PAtriani

Paula junto do fundador Valter Patriani: o foco é reter talentos

Em seu quarto ano de atividade, a Patriani segue em meio à crise  econômica sem alterar o quadro de 122 colaboradores e  anunciando lançamentos, como o Sky, em Santo André, que  promete ser outro sucesso de vendas pautado por diferenciais de  planta e pela qualidade comprovada de acabamento.
Apesar de viver praticamente em uma ilha quando comparada ao  mar turbulento que afeta a maioria das empresas neste momento,  Paula afirma que, apesar de não viver este reflexo, um dos  maiores desafios do RH nesta fase é conseguir manter a qualidade  dos serviços ou produtos do negócio, especialmente quando é  obrigado a reduzir o quadro de profissionais. “Uma das ações que  devem ser trabalhadas por todas as gestões, para lidar com esse  impacto é buscar ter profissionais multifuncionais. Apesar de  defender veemente que todos devem ter seus talentos específicos  trabalhados e focados, desenvolver a diversidade nas  competências dos profissionais  de forma que possam atuar em  atividades secundárias, quando necessário, torna-se uma solução  estratégica para conter despesas e enfrentar os conflitos comuns  aos momentos de crise” ensina Paula.Segundo a gerente de  Recursos Humanos, o ideal é não perder mão de obra já treinada.  E, para isso, uma solução para as empresas mais afetadas pela  crise é a redução da jornada de trabalho. “Esta estratégia permite  reter o talento e ganhar um respiro financeiro para aplicar as  diversas estratégias de sobrevivência que precisa praticar até que  possa retomar o volume de suas atividades”, ensina.
Inovação – Como uma empresa jovem, a Incorporadora Patriani traz em seu DNA vocação para inovar. A empresa é certificada pelo PBQPH (Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat), o que garante aos funcionários que cumpra com todas as ações que garantam o bem-estar e qualidade do ambiente de trabalho, com ações de desenvolvimento coletivo e individual e prática de avaliações de desempenho e treinamentos para o crescimento monitorado e promissor dentro da empresa. “Esta certificação já destaca a empresa em seu meio.

time Patriani

Time de ouro: fase da jovem empresa ainda é de investimento na equipe

Outra ação importante é que as oportunidades sempre são ofertadas, inicialmente, para o público interno e apenas posteriormente recorrermos ao mercado. Até por sermos novos, ainda há muitas ferramentas a serem desenvolvidas, mas já consideramos uma grande conquista chegarmos ao nível que estamos hoje nas nossas relações com o colaborador”, comemora Paula. Paula Cardozo é especialista da área com MBA em Gestão de Pessoas e Competências pela FIG, professora de línguas, experiente na gestão de Recursos Humanos com especialização em T&D, em diversas empresas. Trabalhou na Universidade do Hambúrguer (McDonald´s), onde desenvolveu competências nas mais diversas áreas do negócio e com maior foco na área comportamental, comprometida com materiais de treinamento para os cursos da universidade, onde atuou por 12 anos.

Compartilhe.

Deixe um Comentário