Tempo versus filhos: dois minutos

0

*por Cintia Franco Pattaro

Cintia Tempo, palavra curta com um peso gigantesco para os pais modernos. Atualmente, a falta de  tempo para os filhos gera uma sensação ou uma situação que tira o sono de muitos pais. Falta  tempo para curti-los, estar junto, ver crescer, colocar para dormir, dar comida, assistir desenho,  fazer lição… Ou seja, acompanhar o dia-a-dia. Por que esses questionamentos? Por que essa culpa?  Posso ser um pai presente sem tempo?
Sabemos que hoje a sociedade impulsiona as pessoas a trabalhar cada vez mais e “viver” menos.  Sim, viver menos, pois acordamos, trabalhamos, dormimos, acordamos, trabalhamos…. e assim  temos a sensação que a vida passa e não conseguimos interagir com ela de forma diferente.  Quando nos sobra um tempo, estamos tão cansados e esgotados que não queremos nada mais que  nos isolar com nosso travesseiro.

Só que, nesse momento, nos deparamos com nossos filhos cheios de energia, querendo nossa companhia, e muitas vezes tendo comportamento agressivo, de choro, de doença, de agitação para provocar em nós a tentativa de olharmos para eles. O que precisamos enquanto pais é transformar a “falta de tempo” em “qualidade do tempo”. Tempo para olhar para os nossos filhos, beijá-los, acompanhá-los, curti-los. Com certeza não conseguiremos estar com eles todo o tempo, mas devemos reservar dois minutos durante o dia para estar próximo deles, seja pelo telefone, whatsapp, e-mail, na hora do almoço… Dois minutos para passar uma mensagem: “Filho, estou com saudades, te amo”, dois minutos para perguntar como ele está, dois minutos para dar um abraço, dois minutos para dar bronca ou chamá-lo para reflexão. Assim, ele perceberá que você é um grande administrador do tempo, já que apenas com dois minutos você é o pai mais presente do universo.
Atenção! São dois minutos de amor, diálogo, olhar e não de presentes. Temos que transformar nossa falta de tempo em SER e não TER dinheiro para proporcionar o material, dessa forma irão sempre exigir de nós a atenção, já que o presente não substitui o amor, o carinho, a preocupação, a importância. Nossos filhos saberão que sempre estaremos por perto, não para presenteá-los, mas para participar da vida deles com intensidade.
Sabemos que educar não é fácil, é preciso ter consciência que o importante desse processo é estar presente na vida de nossos filhos por qualquer meio, assim nossos filhos serão acompanhados e amparados o tempo todo e a nossa sensação de “falta de tempo” não existirá mais, no lugar entrará “qualidade do tempo” para fazermos história na vida de nossos filhos e sermos lembrados por eles como “grandes administradores do tempo”.

Cintia Helena Franco Pattaro é Mestre em Administração, Comunicação e Educação, diretora da Escola Infantil Espaço da Aprendizagem, professora universitária da USCS no curso de Pedagogia

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe.

Deixe um Comentário